Sino dos ventos

terça-feira, 31 de dezembro de 2013

2014 - um ano novo todinho seu

Quando 2013 começou, ele era todo seu, um livro em branco onde você podia colocar o que quisesse.
Podia, hoje não pode mais, pois já é um livro escrito, concluído.
Portanto, antes que 2013 termine, reflita, pegue seu velho livro e folheie com cuidado.
Deixe passar cada uma das páginas pelas mãos e pela consciência, faça o exercício de ler a você mesmo.
Aprecie aquelas páginas de sua vida, em que você usou seu melhor estilo.
Leia também as páginas que gostaria de nunca ter escrito. Só não tente arrancá-las, seria inútil.
Mas você pode lê-las enquanto escreve o novo livro que lhe será entregue.
Assim poderá repetir as boas coisas que escreveu e evitar as ruins.
Para escrever o seu novo livro, você contará novamente com o instrumento do livre arbítrio.
Se tiver vontade de beijar seu velho livro, beije.
Se tiver vontade de chorar, chore sobre ele ... não importa como esteja.
Quando 2014 chegar, lhe será entregue um outro livro, novo, limpo, em branco, todinho seu, no qual você irá escrever o que quiser.
E eu desejo que todos escrevam um livro mil vezes melhor que o anterior.
Feliz 2014!!!

Imagem: Portal R7

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Lixinho de mesa


Vídeo da Estela Junqueira (Programa Criando Idéias, TV Paraná), ensinando como se faz um lixinho de mesa.



Um charme a mais no ateliê de costura:


Foto dos lixinhos: Criando Idéias


quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Sonho costurar ...

Que bom seria se pudéssemos costurar o tempo, as pessoas que amamos, o amor, a verdade, a saudade, a auto estima, o perdão, o bem, a saúde, a felicidade, e assim, ir costurando a vida com tudo de bom que ela tem.


Crédito: Google Imagens

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Cestinho de tecido multi uso

Este vídeo do programa Manhã Viva, na TV Canção Nova, traz a Santina Reali ensinando um cestinho multi uso que é show. Muito fácil de fazer.



domingo, 8 de dezembro de 2013

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Bolsas

Duas bolsas que fiz recentemente.
Não ficaram perfeitas mas são muito úteis, principalmente pelo tamanho.
A primeira (com lantejoulas e miçangas) possui divisão interna, o que facilita bastante na organização e localização das coisinhas que costumo levar.
O tecido da segunda é menos encorpado, o que prejudicou um pouco o modelo.
Apesar destes detalhes, fiquei muito feliz em fazê-las e isso é o que importa.










quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Edredon

Comprei um edredon e na primeira lavagem o acabamento praticamente se desintegrou, pois o tecido era extremamente fino. Mesmo sabendo da dificuldade em costurar uma peça grande, não sosseguei até colocar outro acabamento.Não foi fácil mas com as dicas do blog da "Edy pinturas e artes com revistas", até que não me sai tão mal assim.Não tirei fotos do "antes" mas ai estão as fotos do "depois" ... bem melhor do que sem acabamento.










Se você gosta do Canto das Artes, divulgue-o entre as/os amigas/os blogueiras/os. Brigadú!!!




segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Costura

Como uma perfeita arteira de plantão, amo artesanato, costuras e tudo que se refere ao assunto. Gostaria de fazer tudo que vejo, mas raramente sobra tempo para meus projetinhos.

Especificamente com relação ao assunto "costura", tenho alguns PAPs, técnicas, dicas, segredinhos, idéias, projetos e vídeos arquivados, além das raras aventuras neste assunto, minhas costurices, que agora resolvi compartilhar neste blog. Espero que sejam úteis para vocês que, assim como eu, também amam esta arte!

 Crédito: Google Imagens

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Quando me amei de verdade



Quando me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância, eu
estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato.
E então pude relaxar.
Hoje sei que isso tem nome: auto-estima.

Quando me amei de verdade, pude perceber que minha angústia e meu sofrimento
emocional, não passam de um sinal de que estou indo contra minhas verdades.
Hoje sei que isso é autenticidade.

Quando me amei de verdade, parei de desejar que minha vida fosse diferente e
comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento.
Hoje chamo isso de amadurecimento.

Quando me amei de verdade, comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma
situação ou alguém apenas para realizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que
não é o momento ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo.
Hoje sei que o nome disso é respeito.

Quando me amei de verdade comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável.
Pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse para baixo.
De início minha razão chamou essa atitude de egoísmo.
Hoje sei que se chama amor próprio.

Quando me amei de verdade, deixei de temer meu tempo livre e desisti de fazer
grandes planos, abandonei os projetos megalômanos de futuro.
Hoje faço o que acho certo, o que gosto, quando quero e no meu próprio ritmo.
Hoje sei que isso é simplicidade.

Quando me amei de verdade, desisti de querer sempre ter razão
e com isso, errei menos vezes.
Hoje descobri a humildade.

Quando me amei de verdade, desisti de ficar revivendo o passado e de me
preocupar com o futuro. Agora me mantenho no presente, que é onde a vida acontece.
Hoje vivo um dia de cada vez.
Isso é plenitude.

Quando me amei de verdade, percebi que minha mente pode me atormentar e me
decepcionar. Mas quando a coloco a serviço do meu coração, ela se torna
uma grande e valiosa aliada.
Tudo isso é saber viver!

Charles Chaplin

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Bonecas Abayomi

Recebi pelo face a foto de uma bonequinha e ao visitar o blog da pessoa que postou a foto, havia também a história de como a bonequinha foi criada há centenas de anos atrás. Simplesmente emocionante! Não resisti e pedi licença à Graça, autora do blog, que gentilmente me autorizou publicar a história e o PAP da bonequinha.

Boneca Abayomi
Há centenas de anos, em um tempo que pessoas eram comercializadas como coisas e obrigadas a trabalhar e servir em todos os sentidos outras pessoas economicamente mais fortes, os africanos foram trazidos da África para o Brasil em grandes navios, atravessando o oceano Atlântico com fome, sede, calor, medo, ... Essas viagens eram longas, difíceis, cansativas e as pessoas vinham apenas com a roupa do corpo. Muitos nem chegavam, pois acabavam morrendo no caminho.

As crianças choravam assustadas ao ver a dor e o desespero dos adultos. As mães negras então, para acalentar suas crianças, rasgavam com as próprias mãos tiras do tecido de suas saias e faziam bonecas para os pequenos brincarem.

As abayomi são pequenas bonecas negras, feitas de tecido e sem costura alguma, apenas com nós ou tranças. Não tem nenhuma ligação com qualquer crença, religião e não se trata de vudu. A palavra abayomi tem origem no iorubá, e significa aquele que traz felicidade ou alegria. É como oferecer ao outro o que se tem de melhor, algo que carregue nossas melhores qualidades. Dar uma boneca abayomi é um ato de nobreza, é dar a uma pessoa querida aquilo de melhor que temos a oferecer. Então, se as mães negras ofereciam a boneca em sinal de amor, carinho e consolo, arrancando com as unhas pedaços de suas roupas, imagine quão nobres eram os sentimentos dessas mães.
 
Quer aprender como se faz uma bonequinha abayomi? Você vai precisar de pedaços de tecido (algodão, malha ou qualquer outro, quanto mais macio melhor). Para  uma bonequinha de mais ou menos 12cm, são necessários:

- um retângulo de tecido preto de 24x12cm
- um retângulo preto de 24x5cm
- um retângulo de tecido colorido de 14x8cm
- duas tirinhas finas de tecido colorido
Pegue o retângulo maior e segure firme uma das pontas:
Dê um nó e deixe para cima um pedaço pequeno:
Dobre ao meio a parte de baixo que sobrou:
Corte uma parte nessa dobra:
Ficará assim:
Dê um nó em cada perninha. Se o nó ficar no meio da perna vá puxando até a ponta:
Pegue o outro retângulo e dobre ao meio no sentido do comprimento duas vezes:
Coloque a tira por trás da boneca e dê um nó logo abaixo da cabeça:
 
 Dê um nozinho na ponta de cada braço:
Agora pegue o tecido colorido e dobre ao meio duas vezes:
Corte a pontinha da dobra:
Agora vista a roupa na boneca e amarre uma fitinha na cintura e outra fitinha na cabeça:
A bonequinha está pronta! Se quiser que ela fique maior, os retalhos devem ser maiores. Para uma boneca mais gordinha corte o tecido mais largo.

As bonecas abayomi não têm olhos, boca, etc., pois nos navios negreiros não haviam materiais para tais detalhes.

 
Agradeço a Graça que gentilmente me autorizou a publicar a história das bonecas abayomi, e assim, transmitir a todos a grandiosidade das mães africanas, que demonstravam tanto amor e carinho a seus filhos com tão pouco.

Créditos (texto, PAP e fotos): ideiasgraciosas.blogspot.com.br/2012/11/bonecas-abayomi.html

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Uma casa maravilhosa!

Estou vendendo minha casa e, por uma dessas confusões da correria do dia a dia, um corretor pensando que eu estivesse interessada em comprar um imóvel, me enviou fotos de uma casa que está sendo vendida toda mobiliada. E ele a descreve assim:

"A casa se destaca por ter uma ótima claridade e ser super arejada, os ambientes integrados lhe dão mais graça. São 185m² onde estão distribuídos 3 quartos, 1 suíte, 2 banheiros, lavabo, ampla cozinha, living 3 ambientes, escritório, sala de TV e demais dependências. Linda reforma, marcenaria impecável e completamente mobiliada. A área externa é perfeita para relaxar perto do verde."

Totalmente fora das minhas possibilidades, mas vejam se não é mesmo maravilhosa!

Cozinha

Cozinha

Escritório

Jardim

Suíte

Living

 Living

Sala de TV


quarta-feira, 12 de junho de 2013

Conselho de um velho apaixonado



Quando encontrar alguém e esse alguém fizer seu coração parar de funcionar por alguns segundos, preste atenção: pode ser a pessoa mais importante da sua vida. 
Se os olhares se cruzarem, e neste momento houver o mesmo brilho intenso entre eles, fique alerta: pode ser a pessoa que você está esperando desde o dia em que nasceu. 
Se o toque dos lábios for intenso, se o beijo for apaixonante, e os olhos se encherem d'água neste momento, perceba: existe algo mágico entre vocês.
Se o primeiro e o último pensamento do seu dia for essa pessoa, se a vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração, agradeça: algo do céu te mandou um presente divino, o amor.
Se um dia tiverem que pedir perdão um ao outro por algum motivo e em troca, receber um abraço, um sorriso, um afago nos cabelos e os gestos valerem mais que mil palavras, entregue-se: vocês foram feitos um pro outro.
Se por algum motivo você estiver triste, se a vida te deu uma rasteira e a outra pessoa sofrer o seu sofrimento, chorar as suas lágrimas e enxugá-las com ternura, que coisa maravilhosa: você poderá contar com ela em qualquer momento de sua vida.
Se você conseguir em pensamento sentir o cheiro da pessoa como se ela estivesse ali do seu lado ...
Se você achar a pessoa maravilhosamente linda, mesmo ela estando de pijamas velhos, chinelos de dedo e cabelos emaranhados ... 
Se você não conseguir trabalhar direito o dia todo, ansioso pelo encontro que está marcado para a noite ...
Se você não conseguir imaginar de maneira nenhuma um futuro sem a pessoa ao seu lado ...
Se você tiver a certeza que vai ver a outra pessoa envelhecendo e, mesmo assim tiver a convicção que vai continuar sendo louco por ela ...
Se você preferir fechar os olhos antes de ver a outra partindo: é o amor que chegou na sua vida.
Muitas pessoas apaixonam-se muitas vezes na vida mas poucas amam ou encontram um amor verdadeiro. Às vezes encontram mas por não prestarem atenção nesses sinais, deixam o amor passar, sem deixá-lo acontecer verdadeiramente. É o livre-arbítrio. Por isso, preste atenção nos sinais. Não deixe que as loucuras do dia a dia o deixem cego para a melhor coisa da vida: o amor!
Carlos Drummond de Andrade


Crédito da imagem: Google Images

quinta-feira, 6 de junho de 2013

Gengibre em conserva


O gengibre não é uma raiz e sim um rizoma, ou seja, um caule subterrâneo. Tem sabor forte, picante e aroma característico, além de algumas propriedades medicinais (gripes, resfriados, tosses, enjoos, infecções e inflamações). É muito utilizado na culinária indiana em quase todos os pratos salgados e doces. No Brasil ainda é pouco consumido, a não ser na época das festas juninas, pois é ingrediente indispensável na preparação do quentão.

Em pedaços, dá sabor a caldos, sopas e cozidos, mas deve ser descartado ao final do cozimento.

Em pó, pode ser adicionado nas massas de tortas salgadas ou doces, no tempero de carnes suínas e bovinas, saladas, molhos cremosos, peixes, frutos do mar e frango. Misturado ao molho de soja e um pouco de óleo de gergelim ou azeite, resulta num molho delicioso para a salada. Ou ainda misturado ao mel.



Gengibre (rizoma)

 
Folhagem

 .
Gengibre (rizoma, em pó e em cápsulas)

Voltando ao gengibre em conserva, costumo usar nas refeições e adoro, é uma delícia! Segue a receita:


400gr de gengibre fresco (pouco fibroso, mais suculento e suave, casca de cor clara e partes rosadas)
água o quanto necessário
1 e 1/2 xícara de açúcar
1 e 1/2 xícara de vinagre branco
2 colheres de chá de sal
1 pote de vidro esterilizado e com tampa

Lave e descasque o gengibre. Corte em fatias bem finas. Leve ao fogo numa panela com água um dedo acima do gengibre, cozinhando até ferver. Escorra e deixe esfriar naturalmente. À parte, misture o açúcar, o sal e o vinagre; leve ao fogo baixo. Quando ferver, acrescente o gengibre e cozinhe por 5 minutos. Despeje no pote de vidro e deixe em conserva por 2 dias antes de começar a utilizá-lo. Mantenha sempre na geladeira.

Se a sua conserva não acabar rapidinho como a minha, ela poderá ser consumida em até 6 meses.




Gengibre em conserva


Crédito das imagens: Google Images

quinta-feira, 21 de março de 2013

Banheiras

Sejam elas modernas ou retrô, nos proporcionam horas de relaxamento, num banho de espuma com água morninha e sais de banho perfumados. Estou precisando passar uma horinha numa dessas, mas pode ser na primeira.

 












Crédito das imagens: http://moveisitalinea.com/blog/?paged=2

domingo, 3 de fevereiro de 2013

Dois anos de blog!!!



Hoje o Canto das Artes completa dois anos! Foram muitas alegrias partilhadas, a acolhida carinhosa de diversas blogueiras e novas amizades virtuais.

Inicialmente muitos planos para colocar em prática e compartilhar com vocês: artesanatos, costurices, imagens de ambientes, plantas, flores, jardins, antes e depois que nos enchem os olhos, mimos, PAPs, a decoração da casinha que acabou se tornando um elefante branco ... uma vontade imensa de partilhar tudo isso e muito mais. Comecei cheia de energia, mas a vida como sempre me levou por outros caminhos, e várias vezes fui obrigada a deixar as publicações em segundo plano. 

Com o Canto das Artes, comecei a seguir outros blogs com temas próximos aos meus, além de novas descobertas, pois todos são fontes de aprendizagem e inspiração.

Agradeço aos colaboradores/as e leitores/as que acompanham, compartilham, comentam, criticam, enfim, falam do blog. Recebam meu agradecimento especial, principalmente por todas as vezes que vocês dedicaram um pouquinho do seu precioso tempo, para acessar e prestigiar esse cantinho que é feito com muito amor!

E como sempre digo, BRIGADÚ!!!






Crédito da imagem: Dreamstime





Se você gosta do Canto das Artes, divulgue-o entre as/os amigas/os blogueiras/os. Brigadú!!!




terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Feliz 2013!


Quem teve a ideia de cortar o tempo em fatias, a que se deu o nome de ano, foi um indivíduo genial, industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão.
Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos.
Aí entra o milagre da renovação. Tudo começa outra vez. Com outro número e outra vontade de acreditar que daqui por diante vai ser diferente.
Carlos Drummond de Andrade